(83) 3244-5475   |  


Cartões de crédito de cooperativas: requisitos, benefícios e como conseguir o seu

A grande surpresa na última atualização do Ranking de Cartões de Crédito do Melhores Destinos foram os cartões emitidos por cooperativas de crédito. O Mastercard Black do Sicredi já estreiou na quinta colocação e o do Sicoob em sétimo, ambas excelentes colocações! E a pergunta que mais recebemos foi: “como eu consigo esses cartões?”. É isso que a gente te conta agora.

O que são as cooperativas de crédito?

Antes de falar dos cartões em si, é preciso entender o que são essas cooperativas que os emitem. São instituições financeiras voltadas a oferecer serviços financeiros exclusivos para seus associados. Os cooperados são ao mesmo tempo donos e usuários da cooperativa, participando de sua gestão e usufruindo de seus produtos e serviços.

Nelas você encontra os principais serviços disponíveis nos bancos, como conta-corrente, aplicações financeiras, cartão de crédito, empréstimos e financiamentos.

O fato de ser dono implica em duas coisas: se a cooperativa der lucro ele é distribuído entre os cooperados e se der prejuízo ele também será rateado, sempre na proporção das suas operações.

Mas fique tranquilo quanto aos depósitos nas cooperativas: eles também possuem um Fundo Garantidor (FGCoop) com o mesmo limite dos bancos: R$ 250 mil. Isso quer dizer que em caso de intervenção ou liquidação extrajudicial dessas instituições o seu dinheiro estará protegido.

Cada cooperativa de crédito é ligada a um sistema financeiro cooperativo, sendo os dois maiores o Sicoob e o Sicredi. São eles que disponibilizam os cartões de crédito para as cooperativas, mas são elas que estipulam as regras de obtenção e anuidade.

Assim, nem todas as cooperativas vão ter os mesmos cartões de crédito disponíveis e cada uma delas vai possuir regras diferentes para obtenção dos mesmos (já viu que complicou essa história, né?).

Uma característica comum a todos os cartões de crédito de cooperativas e que agrada seus usuários é que o dólar utilizado na fatura é o dólar comercial da data da compra. Assim, não há surpresas desagradáveis ao voltar de viagem do exterior.

Como se associar a uma cooperativa?

Em primeiro lugar é preciso escolher uma cooperativa. Existem aquelas que são restritas a pessoas da mesma profissão como, por exemplo, a Oabcred que só aceita cooperados advogados. Outras limitam um pouco menos, como a Unicred, que atende médicos, dentistas, professores, contadores e empresários. E um terceiro grupo que atende a qualquer um que deseje se associar como o Sicredi.

Feita a escolha, basta ir até a cooperativa com os mesmos documentos que levaria para abrir uma conta bancária: comprovante de renda, de endereço, documento de identidade e CPF.

É preciso também adquirir uma ou mais cotas da cooperativa e o valor da cota varia bastante. Nas quatro instituições em que estivemos ele foi de R$ 200 a R$ 1.000.

Essa cota fica presa junto à cooperativa e ao solicitar o desligamento você recebe ela de volta. Mas atenção: isso pode demorar até um ano, dependendo da data da assembleia geral da cooperativa!

Depois funciona como um banco, você paga uma mensalidade (em geral mais baixa que nos bancos) pela cesta de serviços e contrata os serviços adicionais que quiser como empréstimos e cartões de crédito.

Como conseguir esses cartões?

Como dissemos, os requisitos variam de cooperativa para cooperativa, mas o caminho é igual em todas.

Após se associar, você irá preencher uma proposta de aquisição do cartão. Ela vai levar em conta o número de cotas e o volume de investimentos que você tem na cooperativa e o comitê de crédito da cooperativa dará a palavra final.

Uma dica boa é você perguntar para seu gerente quais foram as características das últimas propostas aceitas. Assim você não perde tempo.

Nas cooperativas visitadas os requisitos que encontramos foram: renda mínima de R$ 10.000 até R$ 20.0000 e investimentos de R$ 50.000 a R$ 300.000. É uma variação brutal, então é bom avaliar bem antes de se associar.

Os cartões existem, são bons e têm anuidades baixas mas sua obtenção é um processo longo que envolve obrigatoriamente a associação a uma cooperativa. Na nossa avaliação, só faz sentido se essa associação também for seu objetivo ou trouxer outros benefícios financeiros.

Alguém tem esses cartões? Como foi o processo de obtenção? Quais os requisitos?

Crédito/texto: www.melhoresdestinos.com.br

© Copyright 2017 coopsebrae.com.br